Homem é morto por disparos de arma de fogo em Guaporé

A guerra entre as associações criminosas pelo domínio da comercialização de drogas nas cidades de Guaporé e da região tem deixado as comunidades preocupadas e os órgãos de segurança pública em alerta em virtude da onda de violência. Desde 1º de janeiro foram cinco crimes contra a vida registradas. O último homicídio aconteceu no sábado, dia 24 de setembro, por volta das 16 horas, no bairro Nossa Senhora da Paz (Promorar). Luis Carlos dos Santos, 58 anos, foi morto por disparos de arma de fogo.

O crime, conforme policiais da Brigada Militar (BM) e agentes da Polícia Civil (PC), ocorreu na rua Carlos Ceppi na frente do estabelecimento comercial (bar) da vítima. Um homem, de 28 anos, foragido do sistema prisional gaúcho (Presídio Estadual de Sarandi), é o principal suspeito de ter efetuado, com a colaboração de um comparsa, os três disparos de revólver calibre 38 que acertaram Luis Carlos. Dois atingiram as costas e um o braço. Após cometerem o crime, empreenderam fuga tripulando um GM Vectra, cor prata.

Populares, ao perceberem Luis Carlos caído em via pública, entraram em contato com com a Central de Operações do Corpo de Bombeiros Militar (BM). Antes da chegada da guarnição, composta pelos soldados Maron, Schmitt e Zilio, colocaram a vítima em um veículo e vieram em direção ao Hospital Manoel Francisco Guerreiro. No meio do caminho, na rua Aurora, cruzaram com os bombeiros, pararam para que Luis Carlos recebesse os primeiros atendimentos médicos para depois, na ambulância resgate, fosse conduzido a casa de saúde. Mesmo com todos os esforços dos profissionais da unidade hospitalar, a vítima não resistiu e morreu. Luis Carlos não tinha passagens pela polícia (antecedentes criminais) e pode ter sido morto por engano. O alvo dos criminosos provavelmente era outra pessoa.

Prisão

De posse de informações colhidas no local do crime junto a testemunhas, policiais militares, comandados pelo tenente Júlio César de Oliveira Greff, passaram a efetuar buscas para a prisão dos criminosos. Na frente de um hotel, na rua Aurora, um rapaz, com características semelhantes as repassadas, foi abordado. Aparentando nervosismo, ele falou que estava acompanhando de um amigo que encontrava-se hospedado no estabelecimento. A arma, que pode ter sido a utilizada na morte de Luis Carlos, foi localizada próximo ao hotel. No quarto, a guarnição descobriu que o homem, de 28 anos, tinha em seu desfavor um mandado de prisão. O foragido e o amigo foram encaminhados para a Delegacia de Polícia Civil (DP), de Guaporé, para os procedimentos legais. Após, o suspeito de ter efetuado os disparos foi conduzido para o Presídio Estadual de Guaporé. O comparsa foi liberado.

Agentes da DP investigam mais um homicídio no município. Uma das hipóteses é que a vítima tenha sido morta por engano.

Informações Central de Conteúdo/Rádio Aurora 107.1 FM, Eduardo Cover Godinho.

Receba as notícias da Studio via WhatsApp

Receba as notícias da Studio via Telegram

A Rádio Studio não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
error: Alert: Conteúdo Protegido

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios