Notícias

Rio Grande do Sul está com 101,3% de ocupação dos leitos de UTI

Dos 2907 disponíveis, 2945 estão ocupados. Mais de 70% dos internados estão relacionados com a covid-19.

O estado do RS está enfrentando o pior momento da pandemia. Os gaúchos observam, neste momento, seu sistema de saúde colapsar. Segundo a última atualização da Secretaria Estadual de Saúde –  03 de março às 17h07 – o RS está com 101,3% de ocupação dos leitos de UTI.

Isso se traduz em 2.945 leitos ocupados dos 2.907 disponíveis. Assim, não há mais leitos vagos no estado. A ocupação do SUS é de 91.3% e no sistema privado, 132.3%. Ao total, 64,1% dos internados são pessoas positivadas para a covid-19 (1.887 dos 2945 ocupados).

A grande preocupação é com o aumento contínuo e exponencial das internações. Todos os dias, no RS, houve aumento no percentual. De ontem, dia 02, para hoje, dia 03, 130 pessoas foram internadas no estado. Soma-se, também, a vasta fila de espera. Em Veranópolis, por exemplo, seis pacientes aguardam por um leito neste momento.

A situação é crítica e preocupa os gestores do estado. O prefeito de Veranópolis, Waldemar de Carli, em tom de alerta para a população, aponta a dificuldade para encaminhamento de pacientes do município.

– O quadro é grave, de alerta, não tem mais UTI, seja você rico, você pobre […] a ordem é fique em casa, só saia para suas necessidades básicas – reforça o chefe do Executivo.

Entre as regiões do estado, a macrorregião da Serra está com a segunda maior porcentagem de internação, 111.8%, estando atrás, apenas, dos Vales, que está com 120.1%.

Bento Gonçalves: “cenário de guerra”

O Hospital Tacchini, atinge 111,1% da ocupação de seus leitos de UTI Adulto. Nos últimos dias, a escalada de novos casos de Covid-19 no Rio Grande do Sul superou em muito todos os parâmetros de comparação registrados em qualquer outro momento da pandemia, levando ao esgotamento total dos recursos do sistema de saúde.  

Nas últimas horas, o Tacchini ativou sua última e mais robusta estratégia de combate à pandemia. As estruturas internas foram reordenadas e novos ambientes foram criados para receber e estabilizar pacientes de alta e média complexidade até que haja condições de encaminhá-los a um leito regular de UTI. A convocação de profissionais da saúde que estavam de férias para que retornem imediatamente ao trabalho também faz parte das medidas adotadas. 

Caxias do Sul: colapso das estruturas

A situação de uma das principais referências para Veranópolis está bastante agravada. A ocupação chega, na cidade, a 108.2%. A maior preocupação é com o Hospital Virvi Ramos, que está com 130,8% de lotação. Outros dois hospitais passam dos 100%. Veja o panorama geral abaixo:

  • Hospital do Circulo: 90.9% ocupação total; 85.7% de ocupação em leitos privados; 200% ocupação em leitos SUS;
  • Hospital Pompeia: 121.6% ocupação total; 125.9% de lotação em leitos SUS; 110% de ocupação em leitos privados;
  • Hospital Saúde: 110% ocupação total; 0% de ocupação em leitos SUS (não possui leitos desse tipo); 110% de ocupação em leitos privados;
  • Hospital Unimed Caxias do Sul: 100% ocupação total ; 100% ocupação em leitos privados; O% ocupação em leitos SUS (não possui leitos desse tipo);
  • Hospital Virvi Ramos: 130,8% ocupação total; 88.2% de ocupação em leitos SUS; 211.1% de ocupação em leitos privados;
  • Hospital Geral: 100% ocupação total; 100% de ocupação em leitos SUS; 0% de ocupação em leitos privados (não possui leitos desse tipo);

Receba as notícias da Studio via WhatsApp

Receba as notícias da Studio via Telegram

A Rádio Studio não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Valorize o investimento na reportagem e jornalismo. Cópia somente com citação de fonte.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios