EsportesStudio Sports

Cem anos de retrancão – Internacional 1×1 Ceará (Campeonato Brasileiro – 5ª Rodada)

Desde que acompanho o Inter, mais precisamente desde o Brasileiro de 1989, quando tinha três anos e minhas primeiras lembranças, o estilo de jogo é o mesmo, com algumas exceções. Antes disso, por tudo que li, poucas vezes, como na década de 70, o Inter teve um time propositivo. No todo, o restante é daquele jeito: joga para fazer um gol em casa e segurar o jogo, e fora de casa baixa as linhas pelo empate.

Bom, quando o Inter foi eliminado pelo Vitória na Copa do Brasil, diante de toda pressão, eu fui um dos que pediu o final da “Era Ramírez”. Estou arrependido!

Não faço parte da maioria dos colorados imediatistas, pois sei que, com o tempo, o espanhol iria fazer o time jogar diferente, assim como Coudet o faria, e foi escrachado pela mídia, direção e pela própria torcida!

Neste domingo (20), vimos o antigo Inter de volta. Depois de três jogos sem o Ramírez, o Inter voltou a 2019, com aquelas atuações desastrosas. Toda mudança é difícil, compreendo, mas é necessária. Talvez demore um ano ou dois, mas todas as mudanças requerem tempo…enfim, agora está feito.

Imagens: Sport Club Internacional, divulgação

Sobre o jogo, pouco a comentar. Partida terrível. O Ceará tomou conta do confronto e só não venceu porque foi incompetente.

O Inter entrou com as linhas baixas – como Edenilson e Patrick queriam – e não produziu nada o jogo todo, lembrando muito o time de Argel Fuchs no derradeiro rebaixamento. A defesa está terrível, o meio não produz e quando produz o ataque desperdiça.

Osmar Loss fez péssimas escolhas e não serve sequer para ser o interino no Inter. É um time fácil de ser batido. Uma presa fácil.

Virando a chave, teremos Diego Aguirre no comando daqui pra frente, para buscar algo na Copa Libertadores e alguma posição boa no Brasileirão.

Em 2015, Aguirre fez um bom trabalho, mas teve problemas, como o preparo físico e o tal do rodízio de jogadores. Espero que os anos tenham lhe feito refletir isso, do contrário, teremos mais alguns anos de retrancão.

Espero também que a torcida colorada dê tempo ao treinador.

COMO JOGARAM:

Daniel – Não teve culpa no gol e salvou o Inter da derrota – 7,0

Heitor – Tem garra, mas é limitado – 5,5

Lucas Ribeiro – Piora a cada jogo – 4,5

Cuesta – É da panelinha e já pode ser negociado – 4,5

Léo Borges – Entrou no clima da displicência – 5,0

Rodrigo Lindoso – O cara consegue atrasar qualquer ataque – 2,0

Edenilson – Apesar do gol, fez uma partida terrível – 6,0

Patrick – O pior do jogo e não foi substituído – 1,0

Lucas Ramos – Não foi bem, mas é guri e tem que dar tempo – 5,5

Thiago Galhardo – Mais uma partida horrível – 4,0

Yuri Alberto – Muita balaca e pouco esforço – 3,0

Maurício – É reserva injustamente – 5,0

Nonato – Não serve pro futebol3,0

Caio Vidal – Entrou para tentar uma bike – 5,0

Peglow – Não tinha sido negociado? – 4,0

Vinicius Mello – Guri tem futuro – 5,5

Osmar Loss – Deveria ser demitido do clube – 1,0

DÊNIS OLIVEIRA

Receba as notícias da Studio via WhatsApp

Receba as notícias da Studio via Telegram

A Rádio Studio não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Alert: Conteúdo Protegido

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios