Geral

Governo irá reformular edital de concessão para o zoológico de Sapucaia

O governo do Estado, por meio da Subsecretaria Central de Licitações (Celic), confirmou, na manhã desta segunda-feira (7/10), que não houve empresas interessadas na concessão do Parque Zoológico de Sapucaia do Sul.

A licitação, publicada no Diário Oficial em 22 de agosto, foi aberta a empresas nacionais e internacionais. O processo de concessão do parque envolveu técnicos das secretarias de Governança e Gestão Estratégica (SGGE), do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema) e parcerias.

O estudo de viabilidade foi elaborado pela consultoria KPMG/Manesco/Planos em contrato firmado no governo anterior. Conforme a modelagem apresentada, o investimento privado precisaria ser de R$ 59 milhões, por um período de concessão de 30 anos, sendo que 70% das obras deveriam estar prontas em até três anos.

Além disso, o vencedor da concessão deveria manter o valor do ingresso da visitação em R$ 15 e promover a modernização do local. Para ampliar a receita, a empresa vencedora poderia investir em novas atrações.

O patrimônio formado pelos imóveis, móveis, benfeitorias, instalações e acervo integrantes dos bens, cuja preservação e proteção são de interesse público em razão do valor ambiental, científico e paisagístico, ficariam sob gestão da Sema. O ganhador da licitação seria quem oferecesse a maior outorga.

O governo seguirá com a busca por parceiros da iniciativa privada para a administração do parque.  Entretanto, diante da falta de propostas, o corpo técnico do governo avaliará algumas premissas da modelagem para republicação do edital, ainda sem data prevista.

Texto: Lucas Barroso/Ascom SGGE
Edição: Patrícia Specht/Secom

Receba as notícias da Studio via WhatsApp

Receba as notícias da Studio via Telegram

A Rádio Studio não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo

Valorize o investimento na reportagem e jornalismo. Cópia somente com citação de fonte.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios