You dont have javascript enabled! Please download Google Chrome!

Notícias

Daniel de Carli, diretor eleito do Campus Veranópolis do Instituto Federal, fala sobre desafios e prioridades

O professor Júlio Xandro Heck foi reeleito reitor do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) pelos estudantes e servidores dos 17 campi e da Reitoria. No Campus Veranópolis, o analista de Tecnologia da Informação, Daniel de Carli, foi eleito na primeira eleição para diretor-geral realizada na unidade (até então, os diretores do Campus Veranópolis eram pro tempores, indicadores pelo reitor). Daniel foi candidato único e substituirá o atual diretor-geral, Erik Schuler.

Neste texto, Daniel de Carli fala sobre desafios e prioridades para a próxima gestão da unidade.

As eleições ocorreram no dia 2 de outubro de 2019, com homologação dos resultados no dia 7 de outubro.  As posses devem ocorrer em fevereiro de 2020, para mandatos de quatro anos.

Apresentação do diretor eleito do Campus Veranópolis do IFRS:

Daniel de Carli, 44 anos, é formado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, tem especialização em Redes de Computadores e mestrado em Educação. Atua na Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica desde o ano de 2010, como analista de sistemas, inicialmente no Campus Bento Gonçalves do IFRS. Concomitantemente, em 2013 atuou como professor temporário 20h no Campus Feliz do IFRS, por um ano e meio. Foi coordenador do sindicato SinasefeBG por dois anos. Em 2014, foi para Veranópolis para trabalhar no início da implantação do Campus Avançado. De outubro de 2015 a abril de 2016, foi diretor-geral do campus no período de transição pelo falecimento do então diretor Fábio Marin. Foi também coordenador de Desenvolvimento Institucional e coordenador do Setor de Tecnologia da Informação no Campus Veranópolis.
Entrevista:

1) O que você considera como principais desafios para a gestão do Campus Veranópolis no próximo quadriênio?

Daniel de Carli – A educação apresenta desafios de várias ordens quando se trata de educação pública, mas cito aqui dois: a falta de recursos financeiros e a falta de pessoal (servidores). Acredito serem esses os principais desafios de gestão para os próximos anos, pois há um gargalo muito grande, principalmente de ordem financeira. A destinação de recursos escassos às instituições de ensino frustra planejamentos mais ambiciosos.

Hoje, o Campus Avançado Veranópolis é o único campus dentre os 17 do Instituto Federal do Rio Grande do Sul que está constituído na condição de Campus Avançado. Essa situação – sermos campus avançado e não campus de fato – limita nosso orçamento e o número de servidores, por força de portaria do Ministério da Educação. Sem dúvida, esse é outro grande desafio: nos tornarmos campus de fato. Para isso, será necessária articulação política regional na tentativa de buscarmos, junto ao MEC, a transformação de campus avançado para campus. Dessa forma, tanto nosso orçamento quanto o limite de recursos humanos serão ampliados, possibilitando um maior potencial na oferta de novos cursos e modalidades que beneficiarão toda a região.

2) Quais serão as prioridades?

Daniel de Carli – Dentre as prioridades está a consolidação dos cursos já ofertados no Campus nas modalidades Integrado ao Ensino Médio e Superiores de Tecnologia e a oferta de um novo curso Técnico Integrado ao Ensino Médio. Precisamos nos destacar como referência de ensino, pois somos uma instituição que tem como missão a oferta de um ensino público, gratuito e de qualidade. Também será prioridade uma inserção maior do Campus Veranópolis na comunidade por meio de projetos e convênios que terão como objetivo auxiliar no desenvolvimento socioeconômico da região de forma mais incisiva.

3) O que a comunidade da região pode esperar do Campus Veranópolis?

Daniel de Carli – Em primeiro lugar, a comunidade pode esperar um ensino público, gratuito e de qualidade, seja em qual for a modalidade de ensino ofertada. Os Institutos Federais destacam-se em nível nacional pela qualidade do ensino e Veranópolis tem o privilégio de ser a cidade-sede de um campus que atende de forma direta a uma região de 19 municípios. Nos próximos anos, buscaremos maior aproximação da instituição com a região de atuação, pois temos potencial para firmarmos parcerias, ofertarmos projetos de ensino, pesquisa e extensão, cursos na modalidade a distância, além dos cursos regulares e presenciais. Dessa forma, buscaremos nos consolidar cada vez mais na região como instituição referência de ensino, e quem ganha com isso tudo é a nossa comunidade.

4) O que mais gostaria de acrescentar:

Daniel de Carli – Apesar das dificuldades financeiras, é necessário buscar soluções para que o Campus não pare de crescer. Uma primeira etapa foi realizada, com a reforma física do Campus com recursos buscados por meio de verbas extra orçamentárias – cito aqui o diretor da atual gestão do Campus, Erik Schuler, que conduziu essa etapa. Novos projetos físicos e reformas precisam acontecer e é papel da gestão buscar alternativas à falta de recursos orçamentários, pois nossos alunos e servidores precisam ter todas as condições necessárias para que nosso objetivo de ofertar uma educação de excelência seja alcançado.

– Quer receber as notícias da Studio no seu WhatsApp? Então clique aqui e faça parte de nosso grupo.

A Rádio Studio não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

13 Comentários

Clique aqui para fazer um comentário

Agenda | Próximos Eventos

  1. 5º FestFlor Vila Flores

    21 novembro | 00:00 - 24 novembro | 00:00
  2. Borrachão do Sangue Frio

    30 novembro | 14:00 - 1 dezembro | 04:00

WhatsApp

error: Este conteúdo é protegido