You dont have javascript enabled! Please download Google Chrome!

Notícias

Daniel de Carli, diretor eleito do Campus Veranópolis do Instituto Federal, fala sobre desafios e prioridades

O professor Júlio Xandro Heck foi reeleito reitor do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) pelos estudantes e servidores dos 17 campi e da Reitoria. No Campus Veranópolis, o analista de Tecnologia da Informação, Daniel de Carli, foi eleito na primeira eleição para diretor-geral realizada na unidade (até então, os diretores do Campus Veranópolis eram pro tempores, indicadores pelo reitor). Daniel foi candidato único e substituirá o atual diretor-geral, Erik Schuler.

Neste texto, Daniel de Carli fala sobre desafios e prioridades para a próxima gestão da unidade.

As eleições ocorreram no dia 2 de outubro de 2019, com homologação dos resultados no dia 7 de outubro.  As posses devem ocorrer em fevereiro de 2020, para mandatos de quatro anos.

Apresentação do diretor eleito do Campus Veranópolis do IFRS:

Daniel de Carli, 44 anos, é formado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, tem especialização em Redes de Computadores e mestrado em Educação. Atua na Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica desde o ano de 2010, como analista de sistemas, inicialmente no Campus Bento Gonçalves do IFRS. Concomitantemente, em 2013 atuou como professor temporário 20h no Campus Feliz do IFRS, por um ano e meio. Foi coordenador do sindicato SinasefeBG por dois anos. Em 2014, foi para Veranópolis para trabalhar no início da implantação do Campus Avançado. De outubro de 2015 a abril de 2016, foi diretor-geral do campus no período de transição pelo falecimento do então diretor Fábio Marin. Foi também coordenador de Desenvolvimento Institucional e coordenador do Setor de Tecnologia da Informação no Campus Veranópolis.
Entrevista:

1) O que você considera como principais desafios para a gestão do Campus Veranópolis no próximo quadriênio?

Daniel de Carli – A educação apresenta desafios de várias ordens quando se trata de educação pública, mas cito aqui dois: a falta de recursos financeiros e a falta de pessoal (servidores). Acredito serem esses os principais desafios de gestão para os próximos anos, pois há um gargalo muito grande, principalmente de ordem financeira. A destinação de recursos escassos às instituições de ensino frustra planejamentos mais ambiciosos.

Hoje, o Campus Avançado Veranópolis é o único campus dentre os 17 do Instituto Federal do Rio Grande do Sul que está constituído na condição de Campus Avançado. Essa situação – sermos campus avançado e não campus de fato – limita nosso orçamento e o número de servidores, por força de portaria do Ministério da Educação. Sem dúvida, esse é outro grande desafio: nos tornarmos campus de fato. Para isso, será necessária articulação política regional na tentativa de buscarmos, junto ao MEC, a transformação de campus avançado para campus. Dessa forma, tanto nosso orçamento quanto o limite de recursos humanos serão ampliados, possibilitando um maior potencial na oferta de novos cursos e modalidades que beneficiarão toda a região.

2) Quais serão as prioridades?

Daniel de Carli – Dentre as prioridades está a consolidação dos cursos já ofertados no Campus nas modalidades Integrado ao Ensino Médio e Superiores de Tecnologia e a oferta de um novo curso Técnico Integrado ao Ensino Médio. Precisamos nos destacar como referência de ensino, pois somos uma instituição que tem como missão a oferta de um ensino público, gratuito e de qualidade. Também será prioridade uma inserção maior do Campus Veranópolis na comunidade por meio de projetos e convênios que terão como objetivo auxiliar no desenvolvimento socioeconômico da região de forma mais incisiva.

3) O que a comunidade da região pode esperar do Campus Veranópolis?

Daniel de Carli – Em primeiro lugar, a comunidade pode esperar um ensino público, gratuito e de qualidade, seja em qual for a modalidade de ensino ofertada. Os Institutos Federais destacam-se em nível nacional pela qualidade do ensino e Veranópolis tem o privilégio de ser a cidade-sede de um campus que atende de forma direta a uma região de 19 municípios. Nos próximos anos, buscaremos maior aproximação da instituição com a região de atuação, pois temos potencial para firmarmos parcerias, ofertarmos projetos de ensino, pesquisa e extensão, cursos na modalidade a distância, além dos cursos regulares e presenciais. Dessa forma, buscaremos nos consolidar cada vez mais na região como instituição referência de ensino, e quem ganha com isso tudo é a nossa comunidade.

4) O que mais gostaria de acrescentar:

Daniel de Carli – Apesar das dificuldades financeiras, é necessário buscar soluções para que o Campus não pare de crescer. Uma primeira etapa foi realizada, com a reforma física do Campus com recursos buscados por meio de verbas extra orçamentárias – cito aqui o diretor da atual gestão do Campus, Erik Schuler, que conduziu essa etapa. Novos projetos físicos e reformas precisam acontecer e é papel da gestão buscar alternativas à falta de recursos orçamentários, pois nossos alunos e servidores precisam ter todas as condições necessárias para que nosso objetivo de ofertar uma educação de excelência seja alcançado.

Quer receber as notícias da Studio no seu WhatsApp? Então clique aqui.

A Rádio Studio não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

13 Comentários

Clique aqui para fazer um comentário

error: Este conteúdo é protegido