Júpiter fará sua maior aproximação da Terra em quase 6 décadas; saiba como observar

Na próxima segunda-feira (26), Júpiter estará em oposição, ou seja, em sua posição mais próxima da Terra. Isso significa que será o dia mais apropriado para a observação, caso deseje ver o planeta gigante brilhando no céu bem mais que o usual. Melhor ainda, esta será a maior aproximação da Terra nos últimos 59 anos.

O que é oposição?

Quando a Terra se posiciona exatamente entre o Sol e um planeta (como Marte, Júpiter e Saturno), os astrônomos dizem que estes mundos estão em oposição. Essas ocasiões são semelhantes à Lua cheia: é possível ver os planetas “cheios”, com sua face voltada para nós totalmente iluminada.

Na oposição, os planetas parecem maiores aos nossos olhos, pois a luz do Sol é refletida diretamente em direção à Terra. Somente os planetas que estão além da órbita da Terra podem estar em oposição, já que a Terra nunca estará entre o Sol e os planetas mais internos (Mercúrio ou Vênus).

O resultado é o corpo celeste surgindo no Leste enquanto o Sol se põe no Oeste. Do mesmo modo, o planeta desaparece no Oeste quando o Sol estiver nascendo no Leste.

Como as órbitas dos planetas são ligeiramente elípticas, existem algumas oposições ainda mais especiais. É que às vezes a oposição coincide com uma aproximação ainda maior, resultando em uma observação mais interessante.

Oposição de Júpiter

A oposição de Júpiter ocorre a cada 13 meses, mas dessa vez as órbitas elípticas farão com que sua aproximação da Terra seja a maior dos últimos 59 anos. A olho nu, o brilho do planeta será ainda mais notável que o normal, enquanto os donos de telescópios domésticos poderão observar as faixas, manchas e luas Jovianas com mais detalhes.

No dia 26, Júpiter estará a aproximadamente a 600 milhões de quilômetros de distância da Terra, mais ou menos o mesmo que ocorreu em 1963. Entretanto, a observação também pode ser muito boa alguns dias antes e depois da oposição. Além disso, a Lua estará no lado oposto, entre o Sol e a Terra — ou seja, em fase Nova —, o que favorecerá ainda mais a visão do planeta.

Como observar

O planeta Joviano estará concorrendo com as estrelas mais brilhantes do céu, competindo até mesmo com Sirius, a mais brilhante de todas. Aliás, Sirius nascerá no horizonte à meia-noite, então estará a meio-céu de distância de Júpiter, tornando o planeta ainda mais destacado para os olhos nus.

Se você estiver em uma região com pouca poluição luminosa (em áreas mais afastadas dos centros urbanos, com pouca iluminação) e o tempo estiver limpo, você poderá ver as luas galileanas (Ganímedes, Europa, Calisto e Io) com um simples par de binóculos com 50mm de abertura. Lembre-se, Galileu descobriu esses objetos com uma luneta feita em 1610.

Claro, com instrumentos maiores você pode ver características mais detalhadas da superfície gasosa de Júpiter. Com binóculos ou pequenos telescópios de 70mm de abertura (dependendo da distância focal), você poderá algumas faixas alaranjadas e brancas, enquanto telescópios a partir de 100mm revelarão ainda mais características fascinantes.

(Informações O Sul)

Receba as notícias da Studio via WhatsApp

Receba as notícias da Studio via Telegram

A Rádio Studio não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Alert: Conteúdo Protegido

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios