Secretaria da Saúde do RS recomenda a segunda dose de reforço para pessoas de 18 a 39 anos com comorbidade

A Secretaria da Saúde (SES) publicou, nesta sexta-feira (12/8), um novo Informe Técnico da Campanha de Imunização contra a Covid-19 que recomenda aos municípios ampliar a vacinação com a segunda dose de reforço para as pessoas com comorbidades, que são doenças crônicas que comprometem a imunidade.

O intervalo mínimo para a aplicação do segundo reforço (ou quarta dose) é de quatro meses após o primeiro reforço. A orientação também é válida para as pessoas que fizeram o esquema primário com a Janssen (dose única), seguido de dois reforços, que deverão agora receber um terceiro, independentemente do imunizante utilizado nos reforços anteriores.

“Quanto mais completa é a vacinação, menores as taxas de incidência de hospitalizações e óbitos por covid-19″, destaca a chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica da SES, Tani Ranieri. “A população abaixo dos 40 anos que hoje está evoluindo com gravidade para internações e morte é composta por pessoas que, na maioria, não fizeram a primeira dose de reforço e também tem comorbidades.”

De acordo com um estudo do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), considerando 105 óbitos por covid-19 ocorridos no ano de 2022 no Rio Grande do Sul na faixa etária dos 18 aos 39 anos, 95 ocorreram em pessoas com comorbidades (90,5% dos óbitos). As estimativas do efeito protetor da dose de reforço da vacina na população dessa faixa etária indicaram uma taxa quatro vezes menor de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por coronavírus no grupo vacinado com dose de reforço em comparação com o grupo não vacinado ou vacinado com esquema incompleto.

As doenças a serem consideradas como comorbidades estão descritas no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra Covid-19 (13ª edição). Elas englobam condições nas quais a pessoa apresenta maior risco de evoluir para casos graves quando expostas ao coronavírus.

Entre as comorbidades elegíveis estão diabetes mellitus, pneumopatias crônicas graves, hipertensão arterial (resistente, em estágio 3, ou estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo), doenças cardiovasculares, doenças neurológicas, doença renal crônica, indivíduos transplantados de órgão sólido ou de medula óssea, pessoas vivendo com HIV, hemoglobinopatias, obesidade mórbida, Síndrome de Down e cirrose hepática. A listagem completa das comorbidades e as recomendações de documentos comprobatórios estão disponíveis no site coronavirus.rs.gov.br/orientacoes-vacinacao-covid-19.

Orientação da SES aos municípios:

  • Ampliar a vacinação com o segundo reforço para população de 18 a 39 anos de idade que apresentam comorbidades e que receberam as vacinas Astrazeneca, Coronavac ou Pfizer no esquema primário seguido de uma dose de reforço. 
  • As vacinas a serem utilizadas para o segundo reforço deverão ser das plataformas de mRNA (Comirnaty/Pfizer) ou vetor viral (Janssen ou Astrazeneca) independentemente dos imunizantes aplicados no esquema primário e no primeiro de reforço.
  • O intervalo mínimo para a aplicação do segundo reforço é de quatro meses após o primeiro reforço.
  • Mulheres gestantes ou puérperas entre 18 e 39 anos com comorbidades que receberam anteriormente as vacinas Coronavac, Pfizer e Astrazeneca estão aptas a receberem um segundo reforço com a vacina Pfizer (mRNA). Em locais onde o imunizante Pfizer não estiver disponível poderá ser utilizada a vacina Coronavac para o segundo reforço.
  • Pessoas entre 18 e 39 anos com comorbidades e que receberam a vacina Janssen no esquema primário (dose única), seguido de dois reforços, deverão receber um terceiro reforço, independentemente do imunizante utilizado nos reforços. O intervalo recomendado para aplicação do terceiro reforço é de quatro meses após o segundo reforço.

Receba as notícias da Studio via WhatsApp

Receba as notícias da Studio via Telegram

A Rádio Studio não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Alert: Conteúdo Protegido

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios