Homem que atacou vítimas com ácido em Porto Alegre é condenado

Acusado de ter jogado ácido sulfúrico em cinco vítimas na Zona Sul da Capital em junho de 2019, Wanderlei da Silva Camargo Júnior foi condenado a 12 anos e 1 mês de prisão, em regime inicial fechado. A sentença foi proferida nessa quinta-feira (12/5) pela Juíza de Direito da 11ª Vara Criminal do Foro Central, Gabriela Irigon Pereira. O réu poderá apelar em liberdade.

As cinco vítimas das lesões foram surpreendidas por ele ao serem abordadas na rua com o líquido que continha o ácido. Em um dos casos, Wanderlei estava de bicicleta e nos demais dirigia um veículo locado por ele com placas adulteradas. Além das lesões, ele foi condenado por ameaça, tendo jogado uma pedra com um bilhete contra a casa de uma sexta vítima. A ordem era para que a vítima jogasse ácido em outras duas pessoas em locais pré-determinados da cidade. Os delitos ocorreram nos bairros Nonoai, Aberta dos Morros e Cavalhada.

A magistrada condenou ainda o réu pelo crime de adulteração de sinal identificador de veículo automotor. “…não há dúvida de que ele assim agiu com o dolo de despistar da polícia a perversidade das suas condutas lesivas para com diversas e aleatórias vítimas, contra as quais eles passou deliberadamente a jogar ácido sulfúrico em via pública”, frisou.

Na decisão, a Juíza Gabriela afirma que as provas extraídas do notebook e dos telefones celulares do acusado mais do que reforçam o seu envolvimento. “As provas evidenciam o intenso grau de culpabilidade de sua conduta, pois ele agiu com planejamento, pesquisa e premeditação”, destaca.

Informações TJRS.

Receba as notícias da Studio via WhatsApp

Receba as notícias da Studio via Telegram

A Rádio Studio não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Alert: Conteúdo Protegido

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios