Policial

Casal é preso liderando facção de Canoas que caçava, matava e vendia animais

A Polícia Civil desarticulou uma organização criminosa na manhã desta quinta-feira (25) que era responsável pela caça ilegal, tráfico de animais e armas. Com o apoio da Brigada Militar, 14 pessoas foram presas, entre eles, o casal que é líder da facção. Os dois foram presos em uma residência de luxo em Sapucaia do Sul, as informações são da Agência GBC.

O grupo começou a ser investigado há seis meses após a denúncia anônima de uma ONG. Os policiais apuraram que eles criaram grupos de WhatsApp e lojas virtuais em redes sociais para realizar a venda clandestina dos animais. Eles tinham até tabela de preços. Uma tartaruga era vendida por R$ 150, pássaros por R$ 2,5 mil e cobras por R$ 1 mil. Alguns dos animais estão ameaçados de extinção.

Pelo menos, dois dos principais caçadores do grupo, foram identificados e presos. Um era de Canoas e outro de Barra do Ribeiro. Pelas redes sociais, os policiais descobriram diversas fotos e vídeos de abates de animais e ofertas de vendas de cobras, iguanas, macacos, saguis, tartarugas, ouriços, jabuti e vários tipos de pássaros. Em um adas imagens, o caçador se vangloria de um veado e grava o bicho agonizando.

Em trocas de mensagens, alguns vendedores mostram dezenas de gaiolas com aves, além de fazerem até promoções para quem fosse comprar mais de cinco ou 10 animais. Entre as aves mais procuradas estão cardeal, coleiro, canário da terra, trinca ferro, papagaios, entre outros.

Receba as notícias da Studio via WhatsApp

Receba as notícias da Studio via Telegram

A Rádio Studio não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Alert: Conteúdo Protegido

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios