Política

Após filiação no Podemos, Moro será opção da terceira via em 2022, afirma Lasier

A proposta de emenda à Constituição (PEC) que parcela o pagamento de precatórios e muda o cálculo do teto de gastos permitirá ao governo gastar R$ 91,6 bilhões adicionais em 2022. A estimativa foi divulgada na última semana pelo Ministério da Economia e é superior à previsão inicial do governo.

No entanto, o projeto, que altera o teto de gastos para acomodar o novo Bolsa Família, chamado Auxílio Brasil, para 17 milhões de pessoas em ano eleitoral, está enfrentando resistência.

Falando sobre o assunto na Uirapuru, o senador Lasier Martins (Podemos-RS), afirmou que a PEC enfrentará maior resistência no Senado do que na Câmara dos Deputados, mas que esse é um dilema profundo, porque os dois lados têm razão. Segundo o senador, as pessoas carentes, cujo Auxílio Emergencial está acabando, continuam sem emprego, passando fome e o governo precisa socorrer de alguma forma.

Do outro lado, os credores dos precatórios, que esperam há tanto tempo para usufruir do crédito ao qual se habilitaram em processos judiciais, podem perder seu benefício.

Lasier afirma que isso ocorre porque o Brasil está deteriorado e enfraquecido sob o ponto de vista das finanças. De acordo com ele, o país está gastando demais, forçado pela pandemia e erros administrativos, e essa foi a forma que o Governo Federal encontrou para tentar acomodar o Auxílio Brasil.

O senador Lasier Martins também falou na Uirapuru sobre a filiação do ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro ao seu partido, o Podemos. Lasier contou que o evento de filiação está marcado para a próxima semana, no dia 10, e que Moro surge agora como um homem “ferido nos brios”, já que realizou uma atividade pioneira de combater a corrupção no Brasil enquanto juiz, mas não conseguiu exercer seu trabalho como Ministro da Justiça.

De acordo com o senador, o belo trabalho de Moro não deu certo no ministério porque o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) interveio nas suas atividades, mesmo após ter prometido autonomia quando entregou o cargo. Segundo Lasier, ter acontecido isso após Moro ser considerado por alguns como “herói nacional”, fez com que ele criasse em mente um sentido de voltar para demonstrar seus princípios e responsabilidades com o Brasil.

Além disso, ele lembra que o ex-ministro também é muito ligado a Alvaro Dias, senador pelo Podemos do Paraná, e simpatiza com os princípios do partido, que procura se caracterizar pela transparência e o combate a corrupção. Lasier afirma que Moro quer ir para a política para nesse setor concretizar o que não conseguiu como magistrado e ministro.

A partir da assinatura com o Podemos, Lasier Martis acredita que Sergio Moro terá confirmada sua candidatura a presidência da república, surgindo como mais uma opção da chamada “terceira via”.

Com informações da Rádio Uirapuru.

Receba as notícias da Studio via WhatsApp

Receba as notícias da Studio via Telegram

A Rádio Studio não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Alert: Conteúdo Protegido

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios