Geral

Viúva de homem morto por seguranças do Carrefour em Porto Alegre recusa indenização de R$ 1 milhão

Segundo o Portal Metropoles, Milena Borges Alves, viúva de João Alberto, homem que foi espancado até a morte por dois seguranças do Carrefour, não aceitou a proposta de acordo de R$ 1 milhão feito pela empresa. Os advogados de Milena encerraram as negociações no último dia 24 de março e devem entrar na Justiça cobrando entre R$ 10 milhões a R$ 15 milhões. Os valores seriam indenizações por dano moral e material.

A defesa de Milena recusou o montante oferecido pela rede de supermercados pois foi o mesmo pago pela morte do cão Manchinha, espancado por um segurança também no Carrefour, em Osasco (SP). A empresa destinou R$1 milhão para instituições de causas animais.

O advogado Hamilton Ribeiro, em entrevista ao UOL, recordou do caso George Floyd, morto por um policial em maio do ano passado nos Estados Unidos. Neste contexto, a família da vítima recebeu US$ 27 milhões de indenização. “Quanto vale a vida de um negro afro-brasileiro e um negro afro-americano? Quando vai ter fim a síndrome do cachorro vira-lata?”, completou. O Carrefour, segundo o defensor, estaria “se agarrando” a um valor estipulado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) de 500 salários mínimos.

A rede de supermercados fechou acordo com a filha de Milena, enteada de João Alberto. O pai de Alberto, o pastor João Batista Rodrigues, 65 anos, também fechou negociação. Os valores não foram revelados devido ao termo de confidencialidade.

Receba as notícias da Studio via WhatsApp

Receba as notícias da Studio via Telegram

A Rádio Studio não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Artigos relacionados

6 Comentários

Botão Voltar ao topo

Valorize o investimento na reportagem e jornalismo. Cópia somente com citação de fonte.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios