Geral

Morre menina de seis anos torturada por mãe e madrasta no Rio de Janeiro

Segundo o Portal G1, morreu na madrugada deste sábado (24) a menina de seis anos que foi torturada por dias pela mãe e pela madrasta em Porto Real (RJ). Depois de apresentar “deterioração das funções vitais”, a criança evoluiu para um quadro de parada cardíaca e não resistiu.

Ketelen Vitória Oliveira da Rocha estava internada no Neovida, hospital particular da cidade de Resende (RJ). Segundo a assessoria da prefeitura, que teve acesso ao boletim médico, ela apresentava estado gravíssimo, mantendo coma arreflexo (ausência de reflexos) e deterioração das funções vitais.

Os médicos chegaram a executar manobras de reanimação, mas não conseguiram reverter o quadro. O óbito foi confirmado às 3h30. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal.

A menina estava internada desde segunda-feira (19), quando chegou ao hospital municipal de Porto Real já em estado gravíssimo. A mãe da criança, Gilmara Oliveira de Farias, de 27 anos, e a companheira dela, Brena Luane Barbosa, de 25, foram presas em flagrante por tortura depois que a equipe médica desconfiou da versão contada, com base nos ferimentos que a criança apresentava, e acionou as autoridades.

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária confirmou neste sábado que as agressoras foram transferidas para um presídio em Bangu, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

O pai da criança está buscando recursos para vir até o Sul do Rio para fazer a liberação do corpo da menina.

Entenda o caso

Segundo a Polícia Civil, as agressões começaram na sexta-feira (16) e seguiram até a madrugada de segunda (19), quando a criança “ficou agonizando até amanhecer” e a mãe resolveu chamar o Samu.

Ainda de acordo com a polícia, nesse período, a menina não foi devidamente alimentada, recebeu socos, empurrões, pisões, pontapés e sofreu lesões provocadas por um fio de TV, que foi usado como chicote. O fio foi apreendido como instrumento do crime.

Além de passar por tudo isso, ela foi jogada de uma altura de sete metros em um matagal.

Na quarta-feira (21), o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) decretou prisão preventiva da mãe e da madrasta da criança. A decisão foi tomada pelo juiz Marco Aurélio da Silva Adania na audiência de custódia realizada com base na gravidade dos ferimentos sofridos pela menina.

De acordo com a polícia, a mãe da menina e a companheira confessaram o crime, que teria sido motivado por ciúmes.

“A mãe da criança alega que, por volta de outubro do ano passado, a companheira começou a sentir ciúmes da criança e começou a maltratar tanto a mãe como a criança. Começou a fazer algumas agressões contra a criança, no que veio a culminar, na última sexta-feira, a essa série de agressões”, declarou o delegado.

Receba as notícias da Studio via WhatsApp

Receba as notícias da Studio via Telegram

A Rádio Studio não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
error: Alert: Conteúdo Protegido

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios