Geral

São Jorge se despediu de seu prefeito, vítima da Covid-19

O povo da cidade de São Jorge amanheceu, nesta segunda-feira, 15, com a triste notícia do falecimento do prefeito municipal, Jorge Postal, ocorrido na noite de domingo em decorrência de complicações da Covid-19.Postal testou positivo no final de fevereiro e logo precisou ser internado. Permaneceu no Hospital São João Batista, de Nova Prata, onde foi entubado e, no dia 07 de março, quando abriu vaga de um leito, foi transferido para a unidade de terapia intensiva, no Hospital Mãe de Deus, em Porto Alegre.

Filho de David Postal e Italia Frare, nasceu em São Jorge em 16 de julho de 1947, onde viveu sua infância com seus oito irmãos, em meio as brincadeiras saudáveis, as quais uma cidade pequena oferece. Saiu de casa para estudar, mas sempre com o intuito de um dia vou voltar.

Concluiu seus estudos com formação em Ciências Contábeis, pela Universidade de Passo Fundo. Antes disso, cursou o “segundo grau” de Técnico em Agropecuária, em Erechim, onde também encontrou seu grande amor, Alzemir Maria Belin, com a qual casou-se e tiverem três filhos: David, Rita de Cássia e Melissa. A família foi crescendo e vieram nora e genros: Morgana Bristot, Itamar Trevisan e Vinicius Lorenzi do Santos, que completaram sua alegria, com a chegada dos netos: Vivian, Laura, João Davi, Guilherme e Vitor.

Foi vendedor de doces por muitos anos, professor, diretor da Escola Cenesista e protagonista da vinda do “segundo grau”, para São Jorge. Foi sempre muito ativo em ações que beneficiassem o interesse de sua comunidade, com participação em todas as diretorias de associações e entidades locais.

Sua trajetória de vida se confunde com a de sua cidade. Foi membro da comissão emancipadora e, na sequência, foi eleito o primeiro prefeito, na gestão 1989/1992. Por mais vezes esteve a frente do Poder Executivo, nos mandatos 1997/2000, 2009/2012 e, neste ano, havia assumido sua quarta gestão. Meme, como era carinhosamente chamado, vivia um momento de realizações, por investir na cidade com a construção civil, sua atividade atual, e por ser mais uma vez prefeito. Quando falava do futuro de São Jorge, imaginava uma cidade onde as pessoas se sentissem felizes e seguras. Um lugar onde todos teriam um trabalho para seu sustento e sustento de sua família. Viveriam com dignidade, tendo alimentação, moradia, saúde, educação e lazer. Imaginava uma cidade modernizada, mas mantedora de suas tradições, onde todos fossem amigos e tivessem respeito pela história das famílias. Tinha orgulho de ter recebido a confiança de tanta gente, de todos os que prometeram e deram o voto no último pleito municipal, junto a seu vice, Danilo Salvalaggio e a coligação, e desejava cuidar de todos com muito carinho. Iniciou seu último mandato com vigor e entusiasmo, onde permaneceu como prefeito por pouco mais de um mês.

Deixa um legado ao alcance de qualquer cidadão são-jorgense, que por onde olhar, verá seus feitos. Deixa a experiência de um administrador digno e de um político humano, ensinamentos de um eterno professor, a serenidade e calma de um grande homem, capaz de passar por cima de todo e qualquer comentário indesejável a seu respeito, por um bem maior, o seu amado povo de São Jorge. E, na manhã desta segunda-feira, o corpo de Jorge Postal, foi levado em cortejo em caminhão dos Bombeiros, escoltado pela Brigada Militar e seguido por centenas de carros, percorrendo as avenidas da cidade. A população, visivelmente consternada, acompanhou de suas casas, nas calçadas, prestando sua homenagem, acenando com lenços brancos e com palmas. Seu corpo foi levado até a casa mortuária, onde foi realizada a bênção e em seguida, seu corpo foi sepultado no cemitério municipal.

Homem de fé, esposo, pai, avô, amigo, político, empreendedor, prefeito… descanse em paz!

Fotos: Vilson Paludo/PMSJ

Receba as notícias da Studio via WhatsApp

Receba as notícias da Studio via Telegram

A Rádio Studio não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Valorize o investimento na reportagem e jornalismo. Cópia somente com citação de fonte.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios