Policial

Facção criminosa de SC usava aplicativo próprio para se comunicar e escapar da polícia

A Polícia Civil deflagrou na manhã desta quinta-feira (25) a operação “Network 2”. A ação visa cumprir 14 mandados de prisão temporária e 12 mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça contra integrantes de uma organização criminosa catarinense voltada à prática de diversos tipos de crimes, como tráfico de drogas e o comércio ilegal de armas de fogo. O balanço da manhã indica 12 presos e duas pessoas estão foragidas.

A operação é da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (DRACO) da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC/PCSC) e conta com a participação de Delegacias da Diretoria de Polícia do Interior (DPOI/PCSC).

Durante a investigação, iniciada em 2019, com compartilhamento de informações entre a Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Lages e a DRACO/PCSC, foram observadas negociações ilegais de armas de fogo e a comercialização de grande quantidade de drogas por integrantes da organização criminosa.

As 26 ordens judiciais expedidas pela Vara Criminal da Região Metropolitana de Florianópolis, após parecer favorável da 39ª Promotoria de Justiça da Capital, estão sendo cumpridas em Biguaçu, Lages e Joinville.

Um dos presos nesta quinta-feira é um integrante da organização que, em tese, criou uma espécie de aplicativo próprio para a comunicação interna entre faccionados.

Participam da operação 60 policiais civis, entre as equipes da DEIC/PCSC e das Delegacias da DPOI/PCSC e das regiões de Lages e Curitibanos.

Receba as notícias da Studio via WhatsApp

Receba as notícias da Studio via Telegram

A Rádio Studio não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Valorize o investimento na reportagem e jornalismo. Cópia somente com citação de fonte.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios