Geral

Prefeito do oeste catarinense chora e apela por ajuda: ”estamos dando um grito de socorro”

A prefeitura de Xanxerê, no Oeste de Santa Catarina, fez um apelo por ajuda e divulgou informações de um cenário de colapso no sistema de saúde nesta quarta-feira, 24. Em uma transmissão ao vivo nas redes sociais, o prefeito Oscar Martarello chorou e pediu ajuda aos governos do estado e federal. “Xanxerê está dando um grito de socorro para o Brasil. Hoje não se pede mais respirador. Precisamos do governo federal, do governo estadual. Das Forças Armadas. Precisamos remover esses pacientes para outros lugares. Não dá mais para falar em montar leitos de UTI aqui. Não temos tempo. Estamos desesperados, unidos, trabalhando virando a noite”, disse o prefeito”.

O município está com todos os leitos de UTI para Covid-19 lotados. Não existem vagas no Hospital Regional São Paulo (HRSP) e um centro de triagem montado pela secretaria de Saúde acabou se tornando, de forma improvisada, um hospital. O que era para ser um centro de triagem, virou um hospital. Estamos com 15 pacientes adultos internados no centro de triagem. Tinha 18, mas três crianças foram transferidas para Chapecó. Dos 15, temos 10 pacientes aguardando leito de UTI. Dez pessoas em situação extremamente grave – detalhou a secretária de saúde, Francismara Pegoraro.

Segundo a secretária, três postos de saúde em Xanxerê já foram fechados e, na próxima segunda-feira, mais um será fechado temporariamente para que profissionais de saúde sejam deslocados ao centro de triagem. Está desesperador. É angustiante ver o que está acontecendo – desabafou a secretária.

O prefeito falou também sobre mais restrições na cidade e o desrespeito às regras sanitárias existentes no momento:

– Prefiro fechar as portas de um estabelecimento que não respeita regras, do que não ter vaga para um paciente no hospital.

Também na coletiva de imprensa, o coordenador da emergência do Hospital Regional São Paulo, Vinicius Chies de Moraes, afirmou que a cidade terá “mortes em grande escala” se permanecer na atual situação:

Escolher quem vai ser internado não é uma realidade da Itália. É uma realidade nossa.

O diretor geral da unidade de saúde, Fábio Lunkes, completou sinalizando a situação grave do hospital:

– O hospital é a última trincheira, e está sendo destruída. Infelizmente, se nós não tomarmos alguma medida urgente, vamos perder essa guerra. Porque o hospital não tem como ser destruído neste momento, senão a população inteira vai sofrer.

Conforme os dados oficiais da Secretaria de Estado da Saúde, a região de Xanxerê tem atualmente mais de 1400 casos ativos de covid-19.

A prefeitura de Xanxerê, no Oeste de Santa Catarina, fez um apelo por ajuda e divulgou informações de um cenário de colapso no sistema de saúde nesta quarta-feira, 24. Em uma transmissão ao vivo nas redes sociais, o prefeito Oscar Martarello chorou e pediu ajuda aos governos do estado e federal. “Xanxerê está dando um grito de socorro para o Brasil. Hoje não se pede mais respirador. Precisamos do governo federal, do governo estadual. Das Forças Armadas. Precisamos remover esses pacientes para outros lugares. Não dá mais para falar em montar leitos de UTI aqui. Não temos tempo. Estamos desesperados, unidos, trabalhando virando a noite”, disse o prefeito”.

O município está com todos os leitos de UTI para Covid-19 lotados. Não existem vagas no Hospital Regional São Paulo (HRSP) e um centro de triagem montado pela secretaria de Saúde acabou se tornando, de forma improvisada, um hospital. O que era para ser um centro de triagem, virou um hospital. Estamos com 15 pacientes adultos internados no centro de triagem. Tinha 18, mas três crianças foram transferidas para Chapecó. Dos 15, temos 10 pacientes aguardando leito de UTI. Dez pessoas em situação extremamente grave – detalhou a secretária de saúde, Francismara Pegoraro.

Segundo a secretária, três postos de saúde em Xanxerê já foram fechados e, na próxima segunda-feira, mais um será fechado temporariamente para que profissionais de saúde sejam deslocados ao centro de triagem. Está desesperador. É angustiante ver o que está acontecendo – desabafou a secretária.

O prefeito falou também sobre mais restrições na cidade e o desrespeito às regras sanitárias existentes no momento:

– Prefiro fechar as portas de um estabelecimento que não respeita regras, do que não ter vaga para um paciente no hospital.

Também na coletiva de imprensa, o coordenador da emergência do Hospital Regional São Paulo, Vinicius Chies de Moraes, afirmou que a cidade terá “mortes em grande escala” se permanecer na atual situação:

Escolher quem vai ser internado não é uma realidade da Itália. É uma realidade nossa.

O diretor geral da unidade de saúde, Fábio Lunkes, completou sinalizando a situação grave do hospital:

– O hospital é a última trincheira, e está sendo destruída. Infelizmente, se nós não tomarmos alguma medida urgente, vamos perder essa guerra. Porque o hospital não tem como ser destruído neste momento, senão a população inteira vai sofrer.

Conforme os dados oficiais da Secretaria de Estado da Saúde, a região de Xanxerê tem atualmente mais de 1400 casos ativos de covid-19.

Fonte: NSC Total

Receba as notícias da Studio via WhatsApp

Receba as notícias da Studio via Telegram

A Rádio Studio não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Valorize o investimento na reportagem e jornalismo. Cópia somente com citação de fonte.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios