You dont have javascript enabled! Please enable it!

Geral

Médicos realizam sonho de paciente: “conhecer o mar”

“Meu braço espalhado em praia; e o mar na palma da mão; no cais, na beira do cais; senti meu primeiro amor”. O trecho da música “Beira-mar”, do cantor baiano Gilberto Gil, é perfeito para descrever a onda de sentimentos de Marcos Antônio Santana Miranda da Silva, de 29 anos. Paciente do Hospital Dr. Carlos Macieira (HCM), ele foi levado pela equipe médica da unidade para realizar o sonho de ver o mar na quinta-feira (9), com direito a água de coco, sorvete e o belíssimo pôr-do-sol de São Luís.

Marcos não conteve as lágrimas assim que a maca onde ele estava foi tirada da ambulância. Ele pôde ouvir o mar e sentir a brisa marítima. “Eu estou muito feliz! É uma oportunidade única essa que estou tendo. Agora sim posso dizer que realizei o meu sonho”, disse emocionado.

Natural de Santa Inês, Marcos Antônio nunca havia ido à praia e aproveitou a troca de plantão para perguntar a uma das enfermeiras se o hospital poderia realizar o sonho de conhecer o mar. “Eu já tinha vindo a São Luís outras duas vezes, mas não tive a oportunidade de conhecer o mar. Acho que quando eu estiver diante dele a sensação é de que meu coração vai pular pela boca porque a expectativa é grande”, disse momentos antes do grande encontro.

Marcos Antônio deu entrada no HCM no dia 3 de janeiro, com quadro de sepse e na investigação médica constatou-se uma neoplasia de intestino já em estado avançado. Tudo tornava a situação delicada, mas não impossível. Para isso, foi montada uma força tarefa com equipe multiprofissional composta por médico, enfermeiro, técnico de enfermagem e psicóloga. Além disso, foi preciso uma autorização do hospital e a presença de um familiar.

De acordo com o diretor clínico do HCM e médico de Marcos, Luís Fernando Amorim Ramos Filho, a saída com o paciente foi possível graças ao trabalho conjunto da equipe e da política adotada pela unidade de promover um tratamento humanizado aos pacientes.

“Talvez seja uma oportunidade única esta que estamos possibilitando. Ele é um paciente que precisa ser monitorado constantemente, principalmente quanto à dor. Foi tão bom que até permitimos outros desejos, como tomar água de coco e sorvete”, comentou.

Segundo Claudionor Pereira Gomes, coordenador de enfermagem da UTI do HCM, apesar do estado físico debilitado, emocionalmente Marcos estava pronto e também foram tomadas todas as medidas necessárias para a segurança do paciente.

“Acreditamos que a iniciativa poderia contribuir ao proporcionar um momento de prazer. Às vezes, a gente quer oferecer o que nenhum medicamento faz: o calor humano, compreensão e companhia. O mais importante da vida está nos prazeres mais simples”, compartilhou Claudionor.

Com informações da Agência de Notícias do Maranhão.

Quer receber as notícias da Studio no seu WhatsApp? Então clique aqui.

A Rádio Studio não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

error: Este conteúdo é protegido