You dont have javascript enabled! Please enable it!

Geral

Suspeito de matar menina de 14 anos em SC chegou a participar do velório da vítima

Segundo o Portal G1 e a NSC TV, o homem de 30 anos suspeito de matar Brenda da Rocha Carvalho, de 14 anos, em Passo de Torres, no Sul catarinense, na semana passada, chegou a participar do velório da vítima, informou o delegado responsável pela investigação do caso, Lucas da Rosa.

“Inclusive, quando eu entrevistei a família, fiz os depoimentos, uma pessoa me narrou que ele (suspeito) chegou a comprar alimentos para levar para o enterro, parece-me que não tinham alimentos na ocasião. Ele comprou alimentos, levou lá para o enterro para poder deixar todo mundo confortável no velório”, disse ainda o delegado.

Sobre os próximos passos da investigação, Rosa afirmou que “a gente vai confirmar a versão do interrogatório do suspeito. Vamos finalizar o inquérito juntando todos os laudos periciais”.

Ele também afirmou que vai pedir que a prisão temporária do suspeito seja convertida em preventiva. O inquérito deve ser concluído em 10 dias.

60 facadas

Na tarde desta quarta-feira (18), o IGP entregou para a Polícia Civil o laudo sobre a morte da menina. De acordo com o médico-legista do órgão, José Roberto Trevisol, a jovem foi atingida por 60 facadas. Número ainda maior do que divulgado pelo IGP na segunda-feira (16), quando os primeiros exames indicaram que Brenda foi morta com mais de 40 facadas.

De acordo com o IGP, a vítima foi atingida pelas costas, chegou a reagir e tentar se defender algumas vezes, mas não resistiu aos golpes de faca. A adolescente também levou uma pancada forte na cabeça, que ocasionou traumatismo craniano. Nos exames feitos pelo instituto, não houve sinais de violência sexual.

Quer receber as notícias da Studio no seu WhatsApp? Então clique aqui.

A Rádio Studio não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

error: Este conteúdo é protegido