You dont have javascript enabled! Please download Google Chrome!

Resenhas Studio Sports

No olho do Furacão – VEC 0x0 Pelotas (Campeonato Gaúcho – 9ª Rodada)

Numa tarde/noite de domingo das mais frias do verão serrano, o Veranópolis lutou de forma brava e forte, como diz o seu hino, mas a primeira vitória e a tal “sobrevida” no Gauchão, não ocorreu.

Literalmente não foi por falta de empenho ou algo do gênero. O zero no placar muito se deu pelo que já vimos em outras jornadas: A falta de pontaria, somado a poucas chances criadas. É bem verdade que o VEC também poderia ter saído derrotado, não fosse o goleiro Anderson, que fez pelo menos dois milagres e evitou um novo revés pentacolor.

O Pavão da Serra, o Pentacolor mais querido do mundo segue sem vencer após nove rodadas e restando apenas dois jogos para o término da fase classificatória, precisa vencer ambos os jogos e ainda torcer contra Brasil de Pelotas e Avenida, que ainda jogam no fechamento da rodada.

Uma das história mais bonitas iniciada em 1992 e que culminou com o acesso no ano seguinte, está prestes a viver capítulos sombrios. O VEC está definitivamente no olho do Furacão, ou seja, sabe do perigo em que se meteu e sabe também o que deve acontecer nos próximos momentos.

Quem sabe, uma das resenhas mais tristes coube a mim escrever. É um sentimento de tristeza, um vazio gigantesco que nos ronda e nos machuca estar vivenciando. Após anos surpreendendo a todos na elite do futebol gaúcho e até batendo de frente contra a dupla Gre-Nal, estamos consternados pela iminente queda.

Caso a derrocada se confirme na próxima ou na última rodada, a história do Veranópolis Esporte Clube Recreativo e Cultural não será manchada. O Pentacolor que já nos trouxe muitas glórias, seguirá batendo forte em nosso peito e nos orgulhando, e quem sabe possam existir momentos como este para nos fortalecermos e voltarmos ainda mais gigantes!

NOTAS:

Anderson – Novo titular em um momento complicado, mostrou porque ganhou a posição – 9

Lito – Sigo sem entender a escolha por este atleta. Deficiência técnica gigantesca – 1

Negretti – Foi muito bem tanto por cima quanto por baixo – 7

Jadson – Um dos atletas mais regulares durante todo campeonato. Quase entregou a paçoca por preciosismo no início da etapa final – 6

Vinícius Bovi – Deslocado de lateral, apoiou constantemente – 6

Darlan – Não achou os meias do Pelotas e foi substituído no início do segundo tempo – 4

Fabrício – Volante de muita entrega, cumpriu o seu papel quase que com excelência – 8

Eduardinho – Criou pelo menos duas boas jogadas pela direita logo no começo e perdeu quem sabe a chance mais clara – 6

Talles Cunha – Um pouco melhor que nas outras aparições, mas ainda aquém da expectativa criada – 6

Juba – Atacante de muita luta, tentou de todas as formas buscar as redes – 7

Patrick – Praticamente não teve chances de arremate, mas fez um bom primeiro tempo – 6

Túlio Renan – Não conseguiu ganhar as investidas pelo lado direito de ataque – 5

Macena – Saiu muito da área e perdeu um gol de cabeça no final da partida – 4

Taiberson – Entrou quase no fim e teve um arremate perigoso. Pouco para quem foi contratado como uma das principais peças – 4

Hélio Vieira – Teve audácia nas substituições, mas pecou na montagem da defesa – 6

Nato Sangali

– Quer receber as notícias da Studio no seu WhatsApp? Então clique aqui e faça parte de nosso grupo.

A Rádio Studio não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

error: Este conteúdo é protegido