Geral

Cidades da serra gaúcha lideram ranking de rendimento médio das propriedades rurais do RS

Nove cidades da Serra do Rio Grande do Sul estão no ranking das 10 mais rentáveis por hectare no estado, segundo levantamento do Sebrae/RS. Mesmo com aspectos geográficos difíceis, como morros e o alto número de rochas no solo, a região se mostra cada vez mais lucrativa.

As propriedades da região são majoritariamente pequenas e de agricultura familiar. Mesmo assim, o rendimento médio por hectare chega a ser de cinco a 10 vezes superior ao alcançado no total do estado, de acordo com o estudo.

A cidade que lidera o ranking é São José dos Ausentes, com rentabilidade de R$ 29.738,34. O município é seguido por Vale Real, Caxias do Sul, Nova Pádua, Pinto Bandeira, São Marcos, Alto Feliz, São Francisco de Paula, Estância Velha (que é a única que não fica em uma região serrana) e Bento Gonçalves.

Para o gerente de Gestão Estratégica do Sebrae/RS, André Campos, esses dados refletem a importância da população agrícola local. “Os números mostram a força das pequenas propriedades, que são características dessas localidades”, comenta André.

Por conta das dificuldades de plantio, o agricultor local precisa investir muito em criatividade para manter o rendimento durante o ano. Muitas vezes, essa criatividade fica por conta das novas gerações, como no caso da família Tissato.

Valmir Tissato, de Caxias do Sul, cidade que ocupa a terceira colocação no ranking, conta que sempre esteve no meio de parreiras, mas, graças à iniciativa do filho Maurício Tissato, novas oportunidades de lucro sugiram com a agricultura.

Maurício propôs construir estufas para a produção de tomates para complementar a renda anual da família. “Procuramos diversificar um pouco a produção para ocupar melhor o espaço de tempo que tínhamos. Com a monocultura (plantio de uva) é possível trabalhar metade do ano, assim no resto do ano ficaríamos ociosos. Desta forma, conseguimos ter uma rentabilidade o ano todo, tendo produção e colhendo sempre”, explica Maurício.

Já para a família Bordin, também de Caxias do Sul, a resposta veio através da tecnologia. Eles são produtores de maçã e ameixa e, para abastecer os clientes durante todo o ano, decidiram implementar o uso de câmaras frias para conservar as frutas e manter a renda. Entretanto, Valdecir Bordin relata que para ter esse lucro o investimento foi alto.

“O investimento é muito grande, porque você tem máquina, tem que fazer pavilhões, câmaras frigoríficas. Sem contar a tecnologia que envolve tudo isso, o custo da energia elétrica, então tudo é um custo muito grande”, conta Valdecir.

Além de servir para manter a nova renda, o investimento também ajuda a driblar os problemas climáticos da região. Este ano, por exemplo, foi registrado um inverno bastante irregular, apresentando um frio abaixo da média. Outra questão que ajuda a decidir esses investimentos é a vontade de manter o trabalho em família.

“A ideia é ampliar um pouquinho, então por isso que a gente está investindo a mais em pavilhões para fazer câmaras frias. Em função até dos filhos, que querem permanecer na propriedade e ficam até mais entusiasmados em fazer um investimento maior”, esclarece Valdecir.

Segundo Daniel Bordin, filho de Valdecir, é gratificante ter esse investimento por parte do pai. “É muito bom saber que temos a confiança do nosso pai, que ele investe na gente. Com certeza, vamos continuar trazendo um futuro cada vez melhor e evoluindo com tecnologias e técnicas melhores, cada vez investindo mais”, informa Daniel.

A pesquisa do Sebrae/RS traz a análise de 62 dados diferentes encontrados nas 497 cidades gaúchas. Na esfera agrícola, também há informações sobre área plantada, valor total da produção e os municípios com maior criação de gado, bubalino, ovinos e galináceos, além de outras informações.

Com informações do Sebrae RS.

A Rádio Studio não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Agenda | Próximos Eventos

  1. Casarão é rock | Biquini Hunters e Pokito Más

    21 outubro | 23:00
  2. Guri de Uruguaiana 2: A Missão

    11 novembro | 21:00
  3. Medi In Rock 2017

    17 novembro | 20:00 - 19 novembro | 06:00

WhatsApp

error: Este conteúdo é protegido