Studio Sports

A busca pelo hexa começou – Grêmio 3×1 Fluminense (Copa do Brasil – Oitavas de Final – ida)

Eu estava em dúvida se realmente o Grêmio jogaria pra valer a Copa do Brasil. Após o título recente é até normal que a equipe tenha outro foco e, de certa forma, desmereça uma competição em que é o atual campeão, visando conquistas maiores como a Libertadores.

A própria torcida está com o “sangue doce” em relação a essa competição e não tivemos uma grande mobilização para a partida. Está certo que se olharmos o histórico de público nas Oitavas de Final de Copa do Brasil da Arena, o público segue a casa das 20 mil ocupações. Portanto, a torcida não “vai só na boa”, é a média nesta fase. 

Falando sobre o jogo em si, a minha suspeita de descaso ganhou força com os primeiros 15 minutos. A forte marcação do Fluminense e o consequente estado de letargia do time tricolor me preocuparam nos instantes iniciais, principalmente após o gol do time carioca, em mais uma falha de Marcelo Grohe. Sim, ele tem como um dos principais defeitos a saída do gol em bola aérea.

Aos poucos o Grêmio foi se encontrando em campo e a minha tese de pouco caso com a Copa foi por água abaixo. E digamos que o start foi dado com Arthur. O guri assumiu a responsabilidade e conduziu a reação ainda na primeira etapa. Essa grande joia da base gremista ainda vai dar muito que falar!

A virada que poderia ter acontecido no primeiro tempo só veio no segundo e com a maestria e eficiência de Lucas Barrios. Dois lances clássicos do centroavante deixaram o Grêmio com uma boa margem para o jogo da volta. Parece-me que após muito tempo – e aí eu digo que mais precisamente seria 1996 – o Grêmio volta a ter um centroavante matador, aquele que sempre vai fazer um golzinho em qualquer partida.

Enfim, uma vitória com a cara do Grêmio, de virada, com dois gols de centroavante e um gostinho de “quero viver tudo novamente, assim como foi no ano passado”, mantendo o escudo de atual campeão.

Rumo ao HEXA!

NOTAS:

Marcelo Grohe – Boas defesas quando exigido, mas falhou no gol do Flu – 5

Léo Moura – Participativo e técnica acima da média – 7

Geromel – Fico cada vez mais impressionado ao vê-lo jogar ao vivo. O melhor zagueiro da história recente – 8

Kannemann – Muito seguro e raçudo. Casa muito bem com seu companheiro de defesa – 8

Cortez – Fora de ritmo e desentrosado. Normal para um jogador pouco utilizado. Ainda assim, me pareceu inferior ao Marcelo Oliveira – 6

Michel – Esforçado, com bons lançamentos e aplicação – 7

Arthur – Mandou e desmandou no meio-campo, chamou a responsabilidade durante todo jogo, principalmente no pior momento do time. Acredito que estamos diante de um grande jogador – 9

Ramiro Monstro do meio-campo gremista. Ramiro é peça fundamental do time atual – 9

Pedro Rocha – Foi o ponto fraco da noite. Sempre que acionado no ataque não conseguiu produzir nada, inclusive perdeu grandes chances. Por outro lado, ajudou e muito a defesa – 5

Luan: O referencial técnico da equipe. Fez uma grande partida! – 8

Barrios – Centroavante nato. Duas chances, dois gols. Tem tudo pra fazer história – 9

Everton – Sempre entra bem. Eu disse SEMPRE – 7

Fernandinho – Correu como sempre, jogou como sempre – 4

Jaílson – Pouco tempo – sem nota

Renato Portaluppi – Estrela que brilha, apesar de algumas teimosias – 8

Kid Sangali

https://www.youtube.com/watch?v=bwlKFqw5B4I

error: © Conteúdo protegido, cópia total ou parcial é permitida com citação da fonte.